Crivella lança programa Rio + Seguro para Copacabana e Leme

O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, lançou nesta segunda-feira, dia 27, no Palácio da Cidade, em Botafogo, o programa Rio + Seguro, projeto pioneiro no país que associa planejamento, inteligência e tecnologia na prevenção à desordem urbana e aos pequenos delitos. Os bairros de Copacabana e Leme serão os primeiros beneficiados pelo projeto-piloto, que no futuro será ampliado para toda a cidade.

Crivella lembrou, em seu discurso, que só foi possível colocar o programa Rio + Seguro em prática depois da aprovação, pela Câmara de Vereadores, da atualização da planta do IPTU.

– Era importante que já se consolidasse uma ação reivindicada pelos contribuintes antes de chegar o carnê com a atualização do IPTU. Se hoje estamos aqui celebrando motocicletas, veículos, guardas, aumentando e muito a vigilância do Leme, Copacabana e Arpoador é porque a Câmara de Vereadores, nossa secretaria de Fazenda e, tenho certeza, nossa população, depois de um intenso debate, chegou-se à conclusão que isso era uma contingência inevitável nesse nosso processo de evolução econômico-político-social – disse Crivella, após assinar o decreto que cria o Rio + Seguro.

A iniciativa prevê uma maior participação da Guarda Municipal e da Policia Militar, com aumento de 280 homens ao efetivo que já está em atividade nas ruas dos bairros. Esses agentes vão atuar com o suporte de dois micro-ônibus como bases operacionais, dez carros e 33 motocicletas.

– Trata-se de um tema diretamente ligado à segurança do cidadão. A política de simples repressão se mostrou ineficaz no combate à violência. Agora não, teremos uma ação integrada entre a Guarda Municipal, a Polícia Civil, a Polícia Militar e o Corpo de Bombeiros. Será um programa contínuo e permanente – afirmou o secretário Municipal de Ordem Pública, Paulo Amendola.

As equipes de campo irão receber informações e imagens captadas por 54 câmeras espalhadas em pontos estratégicos e monitoradas em tempo real pelos agentes do Núcleo de Videopatrulhamento da Guarda Municipal, que funciona no Centro de Operações Rio (COR).

A Prefeitura do Rio investirá, inicialmente, R$ 800 mil por mês para executar o Rio + Seguro em Copacabana e no Leme. O programa é uma iniciativa parlamentar do vereador Marcelo Arar, que sugeriu ao prefeito a implantação do projeto. A população poderá reclamar de casos de desordem urbana, como ambulantes ilegais, ocupação irregular de calçadas e perturbação do sossego. O morador também poderá denunciar pequenos delitos, como furtos de bolsas, celulares e bicicletas. Os casos relacionados à desordem urbana devem ser denunciados pelo 1746 da Prefeitura. Já os criminais devem ser feitos por meio do 190 da PM.

– Desde o começo do ano, eu ouvia pedidos dos moradores de Copacabana, quase suplicando, para que se reforçasse a segurança no bairro. Pela primeira vez na história, a municipalidade entra com um trabalho na prevenção aos crimes. Vamos juntos resgatar a tranquilidade do carioca – ressaltou Marcelo Arar, que se lembrou da aprovação do Fundo de Ordem Pública, que também vai ajudar com recursos para o Rio + Seguro.

O emprego de tecnologia não vai se limitar às câmeras. Por meio do Mapa Operacional será possível observar a movimentação e a localização exata de cada um dos guardas municipais em atividade nos bairros. O sistema de comunicação integrada monitorado por GPS nos aparelhos celulares dos GMs vai permitir a geolocalização de cada agente, agilizando o deslocamento das equipes para atender às demandas e ocorrências. Os smartphones possibilitam que os guardas recebam informações sobre suas missões e imagens de suspeitos.

O Rio+Seguro prevê a integração das atividades da Guarda Municipal com as forças de segurança do Estado.  Seja em ações autônomas dos guardas municipais ou conjuntas com policiais militares do 19º BPM (Copacabana) e do Batalhão de Policiamento em Áreas Turísticas (BPTUR). A parceria ainda possibilitará o envio de imagens de flagrantes de crimes captadas pelo Núcleo de Videopatrulhamento às delegacias locais – 12ª DP e 13ª DP (Copacabana) – e da Delegacia Especial de Apoio ao Turista (Deat). Os vídeos repassados em tempo real aos delegados responsáveis pelos inquéritos servirão como evidência para comprovar pedidos de prisões de suspeitos à Justiça.

Na fase de planejamento do programa Rio + Seguro, a análise de dados estatísticos, bem como as informações obtidas pelos setores de Inteligência, foram fundamentais à elaboração do mapa das manchas de desordem e dos pontos com maior incidência de pequenos delitos, em Copacabana e no Leme.

O mapeamento permitirá a adoção de iniciativas de ordenamento urbano, além de possibilitar o planejamento de ações conjuntas, como o acolhimento de população em situação de rua e a organização do comércio ambulante legal.  O secretário Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos, Pedro Fernandes, anunciou um mutirão na Zona Sul e Centro da cidade, a partir da semana que vem, para identificar e acolher a população em situação de rua. Ele também disse que será inaugurado o primeiro abrigo no Centro.

Quem ainda tiver dúvidas e quiser mais informações sobre o projeto pode acessar a página maisseguro.rio na internet.

Fonte: Prefeitura do Rio

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

Powered by Dragonballsuper Youtube Download animeshow