Pátio da Prefeitura terá posto de vacinação nos dias 25 e 26 de janeiro

Um posto extra de vacinação será montado no pátio do Centro Administrativo São Sebastião, sede da Prefeitura do Rio, nestas quinta e sexta-feiras, dias 25 e 26 de janeiro. Profissionais da Secretaria Municipal de Saúde aplicarão a vacina em pessoas que trabalhem no prédio ou que estejam no local. O posto de vacinação no pátio do CASS funcionará próximo ao estande do Taxi Rio, das 9h às 12h e das 13h às 16h. As doses ofertadas serão fracionadas, como parte da Campanha de Vacinação contra a Febre Amarela.

Saúde inicia campanha de vacinação contra a febre amarela e dia de mobilização será sábado
A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) inicia nesta quinta-feira, dia 25 de janeiro, a Campanha de Vacinação contra a Febre Amarela. Até o dia 9 de fevereiro, a vacina em dose fracionada será ofertada em 232 unidades de saúde. O próximo sábado, 27, será o dia D de mobilização, quando todas as unidades funcionarão das 8 às 17 horas, exclusivamente para a vacinação, e haverá também postos extras espalhados pela cidade, facilitando assim o acesso da população.

É importante lembrar que a vacinação é a melhor medida de prevenção, mas na cidade do Rio de Janeiro não há casos da doença, nem em macacos e nem em seres humanos. Portanto não há motivos para pânico e há vacina para todos dentro do público alvo, que são pessoas entre nove meses e 59 anos de idade.

A vacina da febre amarela é feita com vírus vivo e tem contraindicações importantes para idosos, gestantes, mulheres que estejam amamentando bebês menores de seis meses, pessoas com alergia grave ao ovo, com quadro de imunodeficiência por doença ou tratamento. Por isso, em regiões sem a presença do vírus em circulação, como a cidade do Rio atualmente, a vacina não é indicada para essas pessoas.

Caso haja alteração nas condições epidemiológicas do município, essa recomendação poderá ser revista com base nos devidos critérios técnicos. Para que essas pessoas com contraindicações sejam vacinados nas condições epidemiológicas atuais da cidade do Rio (sem circulação do vírus), é imprescindível a apresentação de atestado médico por escrito, preferencialmente feito pelo médico que já acompanhe o paciente e conheça suas condições de saúde. Somente desta forma o profissional poderá atestar que o paciente está apto a receber a vacina.

No dia D de mobilização as vacinas serão aplicadas em todos os que comparecerem aos postos de vacinação no horário de funcionamento, sem distribuição de senhas. A previsão é de serem vacinadas somente neste sábado no município de 300 mil a 400 mil pessoas.

Neste dia, todos os serviços das unidades com posto de vacinação serão suspensos, para que a força de trabalho seja empregada exclusivamente na vacinação, seja nas próprias unidades ou em postos montados em outros locais públicos. Durante os demais dias da campanha, os 232 postos de vacinação em unidades de saúde continuarão vacinando rotineiramente, além de manter todos os demais serviços oferecidos pelas unidades, como vacinação de crianças, cuidados com pacientes idosos, diabéticos, hipertensos, pré-natal, consultas médicas e de enfermagem, etc.

Haverá distribuição de senhas nos postos de saúde, para melhor organização e controle. Cada unidade ofertará um número específico de doses diárias, dentro de suas capacidades técnicas de segurança dos pacientes e boas práticas de vacinação.
Sobre a dose fracionada O uso foi recomendado pelo Ministério da Saúde, para realizar a cobertura vacinal de forma rápida e eficaz, em toda a população não vacinada nas áreas endêmicas. A vacina é exatamente a mesma, o que muda é a quantidade da dose. A vacina fracionada contém 0,1 ml do soro, ou seja, 1/5 da dose padrão, que é 0,5ml. A dose padrão é considerada altamente imunogênica, com resposta e eficácia para toda a vida, ou seja, só precisa ser vacinado uma única vez. A vacina fracionada é indicada para o momento epidemiológico atual e tem validade de oito anos, porém mais estudos precisam ser feitos. A dose fracionada da vacina de febre amarela é recomendada apenas para maiores de 2 anos de idade, pois a resposta imunológica em crianças é menor e não garante proteção com a dose fracionada. Assim, crianças de 9 a 23 meses de idade continuarão tomando a dose plena, assim como gestantes (após avaliação médica, considerando-se o risco x benefício, principalmente em áreas endêmicas) e viajantes para países que exijam o Comprovante Internacional de Vacinação e Profilaxia (mediante comprovante de viagem, conforme norma da ANVISA).

Fonte: D.O. Rio (24/01/2018)

Print Friendly, PDF & Email

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

Powered by Dragonballsuper Youtube Download animeshow